O processo de fabricação de moldes é, muitas vezes, subestimado. Porém, sem ele, alguns dos objetos do nosso quotidiano não existiriam. Para tornar a produção destes objetos mais eficaz, muitas empresas recorrem aos moldes, o que lhes permite aumentar e acelerar a produção, mantendo a qualidade e baixando os custos de produção. Mas, afinal, como são fabricados os moldes? Passamos a explicar de forma muito abreviada.
 
No caso de produtos de uso diário e que não exijam precisão de injeção, como utensílios, são elaborados moldes simples. Já para os plásticos de engenharia, utilizados em veículos, produtos eletrónicos, telefones, telemóveis, entre outros, o molde carece de uma precisão e complexidade mais elevada, necessitando assim de uma ferramenta muito mais exigente. É neste contexto de moldes que a Rectimold se situa.

O molde, para ser projetado, tem como base a peça plástica que se pretende obter, isto é, o produto final. Definida a peça plástica, desenhada por um projetista, através da criação de um desenho 2D e 3D, fazem-se simulações para verificar o seu bom desempenho, com ajuda de softwares específicos, no sentido de evitar o máximo de erros possíveis na sua produção.

Os moldes são maioritariamente feitos em aço, estando a Rectimold apenas no segmento deste tipo de moldes. Geralmente, este é composto por duas partes: uma parte fixa (a Cavidade) e a parte móvel (a Bucha). É na parte fixa que se encontra o sistema de injeção que tem a função de fazer chegar o plástico até às cavidades.

O molde pode ser projetado para ter uma, duas ou até mais de 94 cavidades, isto é, será capaz de produzir uma, duas ou mais de 94 peças plásticas a cada ciclo/abertura do mesmo. Para esta decisão, muito depende da produção diária de peças plásticas que o cliente final pretenda.

O processo de fabricação começa pelo projetista que, pelo tamanho da peça que se pretenda obter, define o tamanho e funcionamento mecânico de cada molde. É uma fase em que entram vários intervenientes, desde o cliente, o fabricante do molde e até os fornecedores dos vários materiais necessários para a fabricação do mesmo.

O molde entra em fabricação depois de um Planeamento detalhado das etapas a seguir. Depois, passa-se à Maquinação do aço, que poderá ser feita por diversas formas de maquinação, entre elas a Fresagem convencional, a Fresagem de alta velocidade ou CNC, a Erosão (a fio e por penetração) e a Retificação.

Todas as peças produzidas passam pela medição (Controle dimensional), para garantir que se cumprem todas as tolerâncias exigidas. Terminado este processo, passa-se para a montagem das várias peças que compõem o molde, através da retificação e ajustes. Seguidamente, o molde passa por testes de injeção para validação do produto final – a peça plástica.

A produção de moldes é um setor com grande procura. Todavia, é necessária a melhor tecnologia e mão de obra especializada para atender a necessidades específicas de cada cliente. A Rectimold orgulha-se de ter adquirido e aperfeiçoado estes elementos ao longo dos anos, sendo hoje uma empresa com mais de 30 anos de experiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.