Face à pandemia que se assiste em todo o mundo, o conceito de “normalidade” é agora posto em questão. Seja em casa ou no local de trabalho, as rotinas alteraram-se. Se muitas empresas fecharam para respeitar o estado de emergência, as que se mantêm abertas tiveram forçosamente de modificar a sua forma de funcionamento.

No setor dos moldes não foi diferente! As incertezas, as mudanças e a volatilidade que pairam sobre esta indústria veem-se agravadas face à situação atual. O desafio torna-se agora maior, pois inclui a adaptação a outras formas de organizar o trabalho. Este é um setor que, como tantos outros, tem de se adaptar a um cenário completamente inesperado.

O distanciamento social obrigou a Rectimold, empresa há mais de 30 anos no mercado, a reorganizar-se e a introduzir novos procedimentos. Mantendo as portas abertas, esta colocou alguns dos seus profissionais em teletrabalho. Reuniões por videoconferência fazem já parte da agenda, tudo para assegurar tarefas, cumprimento de prazos, mas, acima de tudo, para manter o espírito de união e coesão entre todos. Apesar de canceladas as visitas a fornecedores e clientes, o contacto vai sendo estabelecido, através de telefonemas e ferramentas digitais. O departamento de produção continua a laborar, respeitando procedimentos e distâncias de segurança por secção. Todas as encomendas recebidas permanecem num local próprio, de “quarentena”, para posterior desinfeção. E claro está, a higienização… A empresa, para além de disponibilizar máscaras, luvas e desinfetantes, mede regularmente a temperatura de todos os colaboradores. Quanto aos serviços de limpeza, estes são assegurados por uma equipa externa especializada que garante a desinfeção de toda a área.

De facto, é por nunca perder o foco, é pela dedicação contínua nas tarefas e nos projetos existentes que a Rectimold continua a atingir os seus objetivos. Um esforço coletivo em que se destaca o papel preponderante dos líderes da empresa na motivação e no encorajamento constantes.

Em casa ou na empresa, todos continuam a alinhar esforços, unidos e determinados, caminhando no mesmo sentido. Apesar de não se saber para quando o fim da pandemia, a Rectimold não cruzou os braços, tentando moldar-se, da melhor maneira possível, ao momento particularmente difícil que o mundo atravessa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *